A atividade física tem relação com o desenvolvimento da leitura e escrita

A atividade física tem relação com o desenvolvimento da leitura e escrita

Atividade física tem relação com o desenvolvimento da leitura e escrita

Você sabia que atividade física tem relação com o desenvolvimento da leitura e escrita? Hoje você vai entender melhor isso

Sim. A atividade física tem relação com o desenvolvimento da leitura e escrita. Se você não entende essa correlação, vai entender melhor.

A alfabetização deve ser um processo de desenvolvimento do ser humano ao longo da sua vida.

Entretanto, a educação deve transformar o ser humano num ser crítico e persistente com rumo à melhoria da sua qualidade de vida.

A escola deve priorizar a humanização como tarefa contínua e criativa; levando em conta a visão crítica e dinâmica do ser humano, deve se auto-avaliar e ser autocrítico e a escola deve dar condições para isso.

É de suma importância que a escola reconheça e valorize as referências absorvidas por cada aluno, antes da sua entrada na escola.

Essa percepção da escola deve levar em conta o desenvolvimento afetivo do aluno e corrigi-lo se necessário.

Hoje em dia, a alfabetização tem se restringido a tecnologia do ler e escrever, já o letramento é a capacidade de não apenas decodificar letras e fonemas, mas responder as demandas sociais.

Quando a criança está inserida numa ampla cultura letrada, certamente há uma influência muito positiva na evolução de seu aprendizado em séries posteriores à alfabetização.

Uma base de ensinamentos solidificada por um processo de alfabetização rico em inclusões sociais e culturais, respeitando e aproveitando as vivências individuais de cada aluno, contribui para o desenvolvimento de um cidadão completo.

Percebemos que a atividade física já é reconhecida por seu caráter socializador e como meio de desenvolvimento global a partir do psicomotor.

Atividade física e desenvolvimento cerebral

A importância do desenvolvimento da alfabetização física na primeira infância não deve ser negligenciada.

As conexões cerebrais e as vias neurais formadas antes dos 5 anos de idade estabelecem as bases para o desenvolvimento do cérebro ao longo da vida.

Isso não se aplica apenas às áreas de desenvolvimento social, emocional e cognitivo, mas também ao físico.

Há um forte apoio para a atividade física nos primeiros anos e o tempo gasto nesse período crítico de desenvolvimento com foco no desenvolvimento físico por meio da atividade física e brincadeiras ativas traz muitos benefícios.

Fisicamente, isso inclui coordenação aprimorada e níveis mais elevados de condicionamento físico.

Socialmente, isso significa melhor cooperação e compartilhamento com outras pessoas.

Emocionalmente, isso significa uma melhor gestão das emoções e do comportamento geral.

Crianças pequenas que estão regularmente envolvidas em atividades físicas também demonstram benefícios cognitivos, incluindo maior atenção, resolução de problemas e persistência nas tarefas.

As pesquisas mostram que fornecer atividade física e brincadeiras ativas nos primeiros anos se relaciona positivamente com a habilidade motora, níveis de aptidão e atividade física na adolescência.

Desde tenra idade, as crianças são atraídas por telas brilhantes e coloridas e, às vezes, são tão propensas a jogar no telefone quanto a brincar com uma bola no chão, testar seu equilíbrio ou andar de triciclo.

Consequentemente, em comparação com as gerações anteriores, mais crianças hoje estão entrando na escola sem habilidades físicas básicas.

Agora é mais importante do que nunca que aqueles que cuidam de crianças pequenas considerem as oportunidades de desenvolvimento físico.

Atividade física tem relação com o desenvolvimento da leitura e escrita

A atividade física tem relação com o desenvolvimento da leitura e escrita

Acreditamos que a atividade física possa ser mais que um suporte considerável e relevante para o trabalho realizado na sala de aula, conferindo significado à leitura e à escrita, motivando a todos pela utilização da ludicidade e do movimento, tão importantes nessa faixa etária.

Vemos o processo de alfabetização como uma “quebra” na maioria das vezes.

As crianças se desvencilham de mesinhas juntas, cantinho de brinquedos na sala, massinha e desenhos livres para carteiras enfileiradas, lápis, borracha, quadro negro, cadernos, livros e datas de provas.

É uma ruptura considerável aquele ambiente acolhedor do chamado jardim de infância para uma classe do “aprender a ler e a escrever”.

A criança incorpora a necessidade de êxito nesse ano. As cobranças, por mais inocentes que possam parecer para a família, são o primeiro contato da criança com esse outro universo e com a obrigação de se mostrar como o melhor ou na média da classe.

Em meio a tantas transformações, a atividade física ganha um espaço importante na vida da criança na alfabetização.

É o momento em que ela pode ser ela mesma, longe das cobranças, das cópias e das tarefas.

E é exatamente nessa lacuna que acreditamos que possa haver uma outra forma de aprendizado, de alfabetização.

O corpo em contato com outro, com o meio e com ele mesmo possibilita o movimento; que nessa faixa etária tão importante, ganha padrões medíocres e reduzidos.

Através desse movimento a criança conhece uma forma de comunicação.

O aprendizado da linguagem corporal, através do movimento e da atividade física

Em contato com o meio e com os amigos, a criança recorre a temas e questões de seu interesse, além de aprender sobre o mundo e si mesma pela linguagem corporal por meio das explorações que faz.

Através do movimento e da atividade física, é possível adequar um aprendizado de leitura e escrita de forma lúdica e natural.

Se os conteúdos selecionados para a alfabetização forem conteúdos extraídos da necessidade da criança conhecer-se e conhecer o mundo à sua volta, a forma, ou seja, o processo de trabalhar esses conteúdos, de possibilitar a apropriação da leitura e da escrita, consequentemente, não será o mesmo.

Com jogos, regras e brincadeiras que estimulem a cognição, além de tudo o que engloba os recursos motores para que a criança possa se ambientar nessa nova fase, a atividade física pode e deve se orientar para atender as necessidades da alfabetização e minimizar os distanciamentos entre as crianças dotadas de diferentes habilidades.

Em forma de aprendizagem lúdica é mais fácil para a criança aprender e erradicar sua deficiência e sua falha, possibilitando uma alfabetização mais tranquila para a criança, segura para a escola e satisfeita para os pais.

Atividade física tem relação com o desenvolvimento da leitura e escrita

O desenvolvimento dos hemisférios do cérebro e como a atividade física tem relação com o desenvolvimento da leitura e escrita

As chamadas aprendizagens pré-primárias que envolvem ritmo, criatividade, desenhos, bem como pintar, classificar e reconhecer são desenvolvidos no hemisfério direito; já as aprendizagens primárias, desenvolvidas no hemisfério esquerdo, englobam a leitura, a escrita, a lógica, os números e a matemática.

Como o hemisfério direito se mieliniza primeiro que o esquerdo, é importante que essas atividades relacionadas sejam bem trabalhadas a fim de sedimentar uma posterior aprendizagem mais formal e complexa.

A atividade física tem muito a contribuir nesse aspecto, porque tem como promover atividades que aprimorem essas características citadas acima; trabalhando paralelamente essas ações, respeitando o progresso da constituição fisiológica da criança e auxiliando esse processo.

Com o desenvolvimento motor a criança alcança também a evolução de sua personalidade e o sucesso escolar.

O trabalho psicomotor beneficia a criança no controle de sua motricidade utilizando, de maneira privilegiada, a base rítmica associada a um trabalho de controle tônico e de relaxamento.

Para dominar o lápis, gesto ainda não comum, a criança precisa desempenhar o equilíbrio entre as forças musculares, flexibilidade e agilidade de cada articulação do membro superior.

Desde o ritmo desprendido para o movimento de escrita até a orientação espacial primária para o ato da cópia podem ser estimulados com o movimento motor.

Também o progresso na transição à fase de representação mental, pois toda a ação vivida e analisada num espaço e tempo tende a ser reproduzida em espaço e tempos gráficos.

 Não se trata de aquisição de habilidades manuais, mas numa melhor aptidão para a aprendizagem, resultando em aprendizagens facilitadas e eficientes.

Pode não parecer, mas a atividade física tem relação com o desenvolvimento da leitura e escrita

Conhecemos a importância da atividade física desde parâmetro puramente físico, passando pelo terapêutico, até atingir o educacional.

Em claras demonstrações, a atividade física escolar se destaca para nós com singular importância para o crescimento do aluno enquanto cidadão.

Vemos a alfabetização como uma abertura de mundo, leitura crítica e consciente; porém uma ruptura do mundo infantil para um mundo que exigirá cada vez mais resultados.

Para viabilizar essa transição de forma favorável e natural, a atividade física é capaz de somar resultados positivos com um trabalho integrado e comprometido entre professores e escola preocupados em formar alunos completos e felizes.

Com um trabalho integrado da atividade física com o processo de alfabetização, essa etapa pode ser vista de forma rica e ampla.

Com essa contribuição, aprender a ler e escrever pode se tornar mais natural e mais divertido, já que está nítido que atividade física tem relação com o desenvolvimento da leitura e escrita.

Qual a sua opinião