Como a fonoaudiologia ajuda no TDAH infantil

Como a fonoaudiologia ajuda no TDAH infantil

Menino brincando com peça de montar. Texto em destaque: Como a fonoaudiologia ajuda na TDAH infantil

É normal que uma criança seja agitada durante seus primeiros anos de vida, afinal ela está em processo de desenvolvimento, recebendo novos estímulos durante o tempo todo.

Nesse período, muitos pais e professores percebem hiperatividade e impulsividade, isso causa desatenção durante as tarefas na escola e em casa, e geralmente é interpretado como mau comportamento e desinteresse.

O que muitos familiares e profissionais da educação não sabem é que a criança pode ter TDAH, que significa Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade, também chamado de DDA, Distúrbio de Déficit de Atenção (com ou sem hiperatividade).

Você não sabe o que é ou não tem certeza que essa é a situação do seu filho? Continue lendo este texto!

O que é TDAH e como ocorre nas crianças?

É importante lembrar que o TDAH não é uma doença, e sim uma condição neurobiológica que aparece no início da infância e fica evidente durante o período escolar, quando a criança demonstra alguns dos seguintes comportamentos:

● hiperatividade, não conseguir ficar parada;
● dificuldade em prestar atenção na aula e concluir atividades;
● não consegue organizar as tarefas e lidar com o tempo;
● esquecimento frequente, pouca memória;
● dificuldades de interagir com outras crianças;
● toma atitudes por impulso, inclusive durante as brincadeiras, e tem mudanças de humor;
● dificuldades na aprendizagem, na concentração e compreensão da leitura e escrita;
● a criança aparenta se “desligar” após ouvir uma pessoa falando por certo tempo;
● perda da atenção com facilidade.

Assim como a depressão e ansiedade vêm recebendo a atenção merecida, o TDAH é uma condição nova na área da saúde e vem sendo muito discutida, pois esses transtornos podem seguir por toda a vida e até serem desenvolvidos juntos, atrapalhando o desempenho profissional e a autoestima quando adulto.

Veja só, segundo a Associação Brasileira do Déficit de Atenção, o TDAH ocorre em média de 5% das crianças brasileiras e é mais comum em meninos.

Não são só os neurologistas e psiquiatras que podem diagnosticar e fazer o tratamento do TDAH. É indicada uma intervenção multiprofissional, como a terapia fonoaudiológica e a psicológica, por exemplo.Também não é adequado fazer apenas o uso de medicamentos, sem acompanhamento comportamental.

Quanto antes a criança receber o acompanhamento adequado, melhor será seu desenvolvimento e desempenho escolar e comportamental. Com o tempo ela ganhará qualidade de vida e saberá lidar com essa condição.

Mas como o fonoaudiólogo pode ajudar meu filho com TDAH?

Nós já falamos aqui no blog sobre o Distúrbio do Processamento Auditivo Central. Apesar de ser um quadro diferente e também tratado pela fonoaudiologia, o Processamento Auditivo por si só tem relação na ajuda com o quadro de TDAH infantil.

O Processamento Auditivo é atividade do cérebro que faz perceber, organizar e integrar os estímulos auditivos, sendo um som isolado ou concorrente com outros, e assim realiza sua identificação e compreensão.

Ele está relacionado a outras atividades neurológicas, como a atenção e memória, que serão trabalhadas no paciente com TDAH junto ao
fonoaudiólogo.

Pelo fato de terem sintomas muitos similares, como a falta de atenção, é preciso tomar cuidado para não confundir o diagnóstico. Em alguns casos, o DPAC e o TDAH podem coexistir.

A diferença é que a criança com DPAC tem dificuldade de diferenciar as informações contidas nos sons que ela escuta e de compreender o ruído no ambiente, ouvindo uma confusão de barulhos, sem saber de onde está vindo. Isso não acontece com o paciente com TDAH.

O fonoaudiólogo realizará um exame para avaliar o Processamento Auditivo, que é feito dentro de uma cabine acústica e a criança realizará alguns testes para avaliar as habilidades auditivas e se há alterações.

A ajuda prática: atividades dentro do consultório fonoaudiológico

Lendo este texto e entendendo todas essas informações, você deve estar se perguntando “como o fonoaudiólogo ajudará o TDAH do meu filho?”.

Ele trabalhará a atenção da criança, para que seja aprimorada já nos primeiros anos de vida e haja o desenvolvimento de outras habilidades neurológicas, que diminuirão os sintomas do TDAH com o passar do tempo.

Durante a terapia no consultório, são desenvolvidas as habilidades comunicativas e linguísticas, a atenção auditiva e as habilidades de leitura e escrita.

A atenção é a peça chave e será desenvolvida por meio de estímulos, para que haja foco exatamente na ação que será feita durante a atividade proposta, criando uma competitividade de estímulos e a criança deve ignorar o que for menos importante.

Esses estímulos podem ser auditivos, durante a leitura ou interativos.
Além disso, a memória e a compreensão também serão desenvolvidas. A criança irá repetir essas atividades e treinar o cérebro, que vai gerar esforço e reorganizar o processamento que envolve a atenção.

Hoje temos a ajuda tanto de brinquedos desenvolvidos especialmente para a terapia fonoaudiológica quanto de aplicativos disponíveis para aparelhos tecnológicos, como tablets.

Serão definidas metas claras e de níveis razoáveis conforme a evolução das atividades. É importante dar recompensas como reforço positivo quando feita a tarefa desejada. A criança entenderá o que ela precisa fazer e vai encontrando maneiras de controlar o comportamento para chegar no resultado esperado.

O profissional estará presente também para medir como a criança está se sentindo, tanto no momento em que realiza as atividades como também com o passar do tempo de tratamento.

É importante que os pais e professores tragam feedbacks de como ela tem se comportado em casa e na escola. Quanto mais o médico souber do seu dia a dia, dos relacionamentos e das dificuldades enfrentadas, melhor poderá ajudar!

As pessoas que convivem com TDAH precisam de atenção e acolhimento

Por falta de conhecimento, as pessoas tendem a julgar os comportamentos daquele que tem TDAH.

É recorrente que o paciente apresente baixa autoestima, se isole socialmente, tenha notas baixas, dificuldade para organizar-se e medir o tempo, não tenha controle dos impulsos, procrastine e não consiga manter o foco nas atividades. Isso pode baixar sua motivação de suas metas pessoais ou até desistir delas.

Por isso, quanto antes houver acompanhamento profissional e apoio familiar e de amigos, melhor será a qualidade de vida e menor será o impacto do TDAH no dia a dia. A compreensão e acolhimento é de extrema importância.

Vimos neste artigo que uma criança que se comporta de forma hiperativa e é desatenta pode ter TDAH infantil, que é uma condição neurológica que, apesar de causar dificuldades no desenvolvimento infantil, a fonoaudiologia possui terapias para ajudar no tratamento, diminuir os efeitos do TDAH no dia a dia e estimular o cérebro a ter atenção e
controle nas tarefas, sem prejudicar a aprendizagem.

Se identificou com essa situação? Está preocupada com o comportamento do seu filho? Você pode contar com a ajuda da Alphafono! Entre em contato comigo pelo WhatsApp (11) 99460-8548 para tirar suas dúvidas e marcar uma avaliação, ficaremos felizes em ajudar.

Qual a sua opinião