Contato Visual no autismo: Qual a importância e Como Estimular?

Contato Visual no autismo: Qual a importância e Como Estimular?

Por que crianças autistas não olham quando chamamos?

O contato visual no autismo pode ser muito difícil de ser mantido.

 

Mamães e papais de bebês portadores de Transtorno do Espectro Autista sabem o quanto este tema é relevante.

 

O problema não é só a criança não olhar para você enquanto você está falando. O problema é que a interação fica comprometida já que o olhar faz parte da comunicação.

 

Muitas mães reclamam que falam diversas vezes e o bebê não olha.

 

Essas mães chegam ao consultório tristes, preocupadas e com a seguinte queixa “meu filho não atende quando eu chamo”. A impressão que pode dar é que o bebê não ouve direito.

 

A partir disso você já pôde perceber que falar sobre como aumentar o contato visual no autismo poderá ajudar muitos pais a se sentirem mais tranquilos em relação à comunicação com seus filhos, certo?

 

Então nas próximas linhas eu espero ajudar a esclarecer um pouco as principais dúvidas sobre este tema.

 

 

Características da criança com TEA

 

 

Olhar nos olhos, seguir os sons e apresentar com o olhar sinais de entendimento são coisas simples e instintivas para a maioria das pessoas.

 

No entanto, para uma criança com autismo pode ser um grande obstáculo. Aliás este pode ser um indicativo de que a criança tenha TEA.

 

Fique atento se o seu filho não atende quando você chama, mesmo que ainda seja um bebê.

 

Muitas mães e pais reclamam que seus filhos não olham para eles enquanto estão falando, não olhar é um sinal característico de autismo.

 

Para a criança que possui esta dificuldade é difícil manter contato visual enquanto conversa, isso faz com que ela desvie o olhar rapidamente, olhando de canto de olho ou nem mesmo olhando.

 

Um simples chamado pode não ser o suficiente para chamar a atenção da criança.

 

Talvez seja necessário dar mais ênfase, aparecer na frente dela ou chamá-la ao mesmo tempo em que a toca para que ela olhe.

 

A criança com TEA (Transtorno do Espectro Autista) possui esta característica como uma das mais marcantes.

 

O contato visual no autismo é um item a ser estimulado para que não se torne um empecilho no seu desenvolvimento, comunicação e relacionamentos.

 

Todas as características que definem a criança com espectro do autismo se manifestam de formas específicas em cada indivíduo, e sobre esta característica especificamente não é diferente.

 

O contato visual no autismo pode variar de pessoa para pessoa, alguns indivíduos olham de uma forma mais breve, outros não olham de jeito nenhum.

 

Por isso este é um tema delicado que precisa de atenção profissional, é importante analisar em cada paciente as formas mais eficazes de estimular o “olho no olho”.

 

Não existe uma fórmula que eu possa passar aqui para você porque o que funciona para um pode não funcionar para o outro.

 

Na verdade cada caso é um caso e o indivíduo deve ser analisado por um profissional.

 

 

Por que o contato visual no autismo é tão importante?

 

 

O contato visual no autismo precisa ser desenvolvido porque é um item muito importante dentro da comunicação, das relações interpessoais e do aprendizado.

 

É fundamental para interagir, porque demonstra que a pessoa está compreendendo o que está sendo falado, estabelece conexão com as pessoas.

 

Não é a toa que muitos pais de crianças com TEA acham que seus filhos não estão ouvindo direito, ou sofrem achando que seus filhos são indiferentes à eles.

 

Depois de um tempo percebem que não é nada disso!

 

O contato visual é essencial para o desenvolvimento de outras habilidades.

 

Isso porque as crianças no geral aprendem tudo observando os adultos, se ela não observa ela também não aprende, e logo não se desenvolve.

 

Ou seja, uma coisa depende da outra, por isso desenvolver o contato visual no autismo é tão importante.

 

Para aprender a falar as crianças observam os movimentos articulatórios da boca dos adultos, por exemplo.

 

É importante também entender que a criança com autismo vive em um mundo paralelo, ou seja, um  mundo só dela em que a maioria das coisas acontece de um jeito totalmente diferente do nosso.

 

A sua principal insuficiência está justamente relacionada à interação, não corresponder com o olhar pode tornar tudo mais difícil.

 

O grande desafio das famílias e profissionais que ajudam no desenvolvimento dessas pessoas está em estimular todos os sentidos que são afetados para que o paciente consiga se relacionar, interagir, falar, se comunicar e ter qualidade de vida.

 

Por isso um fonoaudiólogo (de preferência especializado) e uma boa intervenção são itens indispensáveis no desenvolvimento dessas  crianças.

 

Como aumentar o contato visual no autismo?

 

Como estimular o contato visual em crianças com autismo

 

Após ser orientado por um fonoaudiólogo ele te dará as orientações adequadas para o seu bebê.

 

Mas é importante procurar fazer isso no cotidiano da criança, continuamente, mesmo que seja apenas por alguns segundos.

 

Assim os resultados na terapia serão mais eficazes.

 

Observe agora algumas orientações sobre o contato visual no autismo que você pode começar a praticar com seu bebê a partir de agora:

 

  • Olhe diretamente aos olhos da criança, mesmo que ela não esteja te olhando;
  • Assim que olhar pra você, não desvie o olhar, procure manter o contato visual;
  • Procure estar sempre posicionado de frente a criança quando for conversar;
  • É importante que você mostre ter atenção ao que ela tem a te mostrar;
  • Procure enfatizar quando for elogiar e use bastante expressão facial;
  • Direcione o olhar da criança para você ou para o que você estiver mostrando;
  • Utilize objetos realmente atrativos quando for ensiná-la algo importante;
  • A Incentive  a observar seguindo o seu dedo ou ao que você aponta;
  • Ao mostrar algo para ela, deixe bem ao nível dos olhos;
  • Ensine e brinque também com objetos diferentes, não apenas brinquedos.
  • Utilize orientações sobre movimentos e comunicação;
  • É recomendável ter um espelho onde a criança possa se ver por completo;
  • Minimize o foco de atenção, se você quer que a criança olhe para você tente eliminar do ambiente coisas que possam roubar a atenção dela.

 

Conclusão

 

Neste artigo falamos sobre contato visual no autismo, mais especificamente em crianças.

 

O contato visual é fundamental desde quando bebês até crianças em fase escolar, em que o contato visual é importante para que ela aprenda o que o professor ensina, e até na fase adulta.

 

Inclusive, na fase adulta o contato visual será muito importante em diversas situações como entrevistas de emprego, relacionamentos amorosos e etc.

 

Aprendemos também que cada indivíduo é único, existem casos e casos. Inclusive existem casos em que a criança mantinha contato visual normalmente e depois deixou de ter.

 

Isso também é comum em crianças com TEA.

 

O fato é que independente da situação é indiscutível a importância de começar uma intervenção o quanto antes e ter o apoio de uma equipe multidisciplinar.

 

Isso não só para aumentar o contato visual no autismo, mas para melhorar o desenvolvimento da criança de uma forma geral.

 

Imagine que quanto antes você agir, maiores serão as chances de que seu filho tenha uma vida absolutamente comum.

 

Embora ainda não exista uma cura definitiva para o autismo, pesquisas demonstraram que a Análise comportamental e fonoaudiologia melhoram drasticamente o desenvolvimento e aprendizado da criança autista, ainda mais se começar precocemente.

 

Se você deseja consultar um profissional especializado e está na região Oeste de São Paulo marque uma consulta conosco através do WhatsApp 11 99460-8548.

 

Esperamos você. Esperamos também que você tenha gostado deste conteúdo.

Qual a sua opinião