Como deve ser a alfabetização de crianças com Síndrome de Down?!

Como deve ser a alfabetização de crianças com Síndrome de Down?!

Como deve ser a alfabetização de crianças com Síndrome de Down?!

Você deve imaginar que a alfabetização de crianças com síndrome de down pode ser um tanto diferente do comum, para não dizer difícil.

Como tudo o que está relacionado à esses pacientes, o processo de ensinar uma criança com Down a ler e a escrever é único e requer muita atenção e amor, acima de tudo.

Mas é possível.

Muitas ferramentas podem ser usadas para ajudar pais e professores nesta missão!

Aliás esses dois agentes devem se unir nesta tarefa mas falaremos sobre isso mais à frente.

Para entender melhor como funciona o processo de alfabetização de crianças com síndrome de Down continue a leitura deste artigo.

Crianças com Down podem aprender a ler e a escrever?

Sabemos que a síndrome de Down, ou trissomia do cromossomo 21, é um distúrbio de origem genética que causa características únicas nos indivíduos.

Já falamos bastante sobre os sintomas, causa, e as possibilidades de Intervenção na SD em outros artigos que fizemos aqui no Blog.

Veja mais: A importância da estimulação precoce de fonoaudiologia em bebês com síndrome de Down.

Então, hoje nós queremos falar de uma das necessidades mais latentes desses pacientes: a alfabetização.

Todo indivíduo com SD possui algum nível de atraso cognitivo que dificulta, também em diferentes graus, o processo de aprendizagem da criança.

Sendo assim, alfabetizar crianças com síndrome de Down é certamente um grande desafio.

E a primeira coisa a se fazer a este respeito é identificar as características únicas deste indivíduo, principalmente o seu grau de dificuldade que pode ser leve, moderado ou severo.

Isso só pode ser feito por profissionais qualificados, através de testes específicos de cognição e adaptabilidade.

O principal ponto dentro deste processo é entender que por mais que essas crianças enfrentem algumas dificuldades no aprendizado, elas são totalmente capazes de aprender.

A diferença é que elas precisam de estímulos especiais, diferentes daqueles que aplicamos normalmente com outras crianças.

Como começar a alfabetizar crianças com Síndrome de Down!

Então vamos lá…

Qual a melhor forma de começar a alfabetização de crianças com Síndrome de Down?

Como já dissemos, identificando a real necessidade de cada criança.

Esta parte é muito mais técnica e diz respeito aos profissionais da área, então não vamos nos aprofundar neste mérito.

Resumidamente, cada criança deve ser avaliada individualmente. Até aí, ok!

Além disso a ajuda dos pais e familiares é fundamental para o sucesso deste processo.

Afinal os estímulos devem ser aplicados diariamente, não tem como estimular uma criança exercitando-a apenas uma vez por semana.

Os profissionais responsáveis pelo processo de alfabetização devem orientar os pais sobre como eles podem contribuir na intervenção com a criança.

Mas no geral, a intervenção deve focar muito na consciência fonológica.

Ou seja, trabalhar a capacidade de vincular sons e letras, ou seja ensinar os fonemas.

O trabalho de enriquecimento do vocabulário da criança também é muito importante e pode ser feito de formas muito simples, basicamente conversando, articulando bastante as palavras e repetindo diversas vezes.

Para isso, elementos lúdicos podem ajudar muito.

Geralmente a memória visual destas crianças é melhor do que a auditiva e trabalhar com imagens pode ser um ótimo caminho.

Combinar imagens com contação de histórias, músicas, leitura e brincadeiras também é excelente.

Mas lembramos que é importante conversar com um profissional para saber as melhores formas de aplicar essas ideias com o seu filho.

A importância da assertividade.

É muito importante usar métodos pedagógicos focados no acerto. Ou seja, ser direto, objetivo quanto ao que você quer que a criança faça.

Não podemos esperar que as crianças com Síndrome de Down elaborem pensamento complexos baseados na tentativa e erro.

Você como pai, mãe ou professor precisa ajudar seu filho ou aluno a elaborar os pensamentos.

Ser assertivo no que é esperado, e dizer exatamente o que deve ser feito, como deve ser feito e se for necessário fazer junto com a criança e depois deixar que ela faça é sempre o melhor caminho.

Basicamente é assim que você irá contribuir para que ela crie a percepção das letras, fonemas e com o tempo consiga construir frases simples do dia-a-dia.

Alfabetização de Crianças com Síndrome de Down.

Quando falamos a respeito da alfabetização de crianças com síndrome de Down temos que lembrar que na maioria das vezes as escolas não estão preparadas para oferecer o apoio necessário para esses pequenos.

A intervenção psicopedagógica e o acompanhamento de uma equipe multidisciplinar é muito importante para que essa criança tenha mais chances de se desenvolver e se tornar um adulto alfabetizado…

Ou seja, um adulto capaz de estudar, trabalhar e se comunicar bem.

Quanto antes os estímulos começarem, melhores serão as chances da criança, e provavelmente os resultados.

Psicopedagogos que vão até as escolas, observam não só o comportamento das crianças mas também dos professores, pais e alunos podem ser de grande contribuição para orientar os envolvidos neste processo.

Se você deseja buscar ajuda especializada para a alfabetização do seu filho e quer vê-lo se desenvolver ao máximo, dentro de suas limitações, entre em contato conosco pelo WhatsApp 11 994608548 e marque uma avaliação.

Será um prazer ajudar no desenvolvimento do seu pequeno e fazer parte dessa grande conquista.

Este foi o nosso conteúdo sobre alfabetização de crianças com síndrome de Down se você gostou deste artigo comente, compartilhe e marque as pessoas que você conhece que podem se interessar por esse assunto.

Leia também: A Importância da Estimulação da Musculatura Facial na Síndrome de Down!

Qual a sua opinião