Seu filho é autista ou ele tem Apraxia da Fala Infantil? Conheça as diferenças.

Seu filho é autista ou ele tem Apraxia da Fala Infantil? Conheça as diferenças.

diferença entre Apraxia da Fala Infantil e autismo.

Hoje vamos falar um pouco sobre a diferença entre Apraxia da Fala Infantil e Autismo, mas por que decidi falar sobre isso?

 Recebo diariamente muitos pais que acabaram de receber um diagnóstico de autismo para seus filhos e chegam ao consultório angustiados. Afinal, ninguém se prepara com antecedência para ter um filho atípico.

 Geralmente esses pais começam a estudar sobre o assunto assim que descobrem, mas até então eles têm pouca ou nenhuma informação sobre o distúrbio e as situações novas que vão aparecer no caminho.

É normal que a preocupação apareça, pois tudo o que é desconhecido pode nos assustar durante algum tempo, mas imagina começar uma intervenção acreditando que é o melhor para o seu filho e perceber que ele não está conseguindo desenvolver a fala adequadamente?

Pois é, e isso acontece muito. Já vi muitos casos de pais que chegaram ao consultório para tratar crianças ‘autistas’ mas depois de um tempo descobrimos que eram apráxicas, e por isso não conseguia desenvolver a fala adequadamente.

É por isso que eu decidi falar sobre esse tema. Nas próximas linhas eu vou te explicar a diferença entre Apraxia da Fala Infantil e Autismo e você vai entender por que essa confusão acaba acontecendo com tanta frequência.

A importância de um diagnóstico correto

“Como mãe, foi sempre muito difícil ver que meu filho tinha boa audição, entendimento da linguagem, das relações comunicativas e motivação para falar, mas não conseguia coordenar os movimentos da boca para produzir sons inteligíveis”.

 O relato acima é de uma mãe que buscou muito um diagnóstico correto para o seu filho, li  esse depoimento no Blog Saúde Plena, mais um caso de Apraxia da fala infantil atribuído ao autismo.

Isso acontece com mais frequência do que gostaríamos. Em muitos casos as crianças nunca recebem o diagnóstico correto e são submetidas a intervenções que não são específicas para AFI, o que acaba não as ajudando.

 Essas situações são consequência da falta de informação e especialização dos profissionais brasileiros sobre o transtorno. Aos pais resta a angústia e a sensação de que investiram tempo em algo que não trouxe resultado.

 Para definir a abordagem correta precisamos do diagnóstico correto, quando a criança não o recebe pode não ter oportunidade de desenvolver a fala, não por incapacidade mas sim porque não foi compreendida.

 Tudo isso não significa que toda criança diagnosticada com autismo, que não desenvolve a fala, necessariamente tem AFI, vamos fugir de generalizações com nossas crianças, ok? Mas é uma hipótese a ser levantada, especialmente se o pequeno apresentar os sinais que você vai conhecer nas próximas linhas.

A diferença entre Apraxia da fala Infantil e Autismo

 Nenhum transtorno se apresenta com exatamente os mesmos sintomas e intensidade em todos os indivíduos, até porque cada criança é única e demonstra seus próprios pontos fortes e fracos em relação às habilidades.

Mas falando em linhas gerais, sabemos que crianças com Transtorno do Espectro Autista tendem a apresentar dificuldade no desenvolvimento da fala e linguagem.

São crianças que podem não falar em alguns casos, ou falar bem mais tarde, ter pouco interesse em se comunicar e ter dificuldade em se expressar de forma inteligível.

 Isso tudo acontece porque a criança com TEA possui dificuldades em interagir com o mundo ao seu redor, demonstrando inflexibilidade e falta de reciprocidade.

 Por outro lado uma criança com Apraxia da Fala Infantil também tem dificuldades em desenvolver a fala, mas o transtorno é bem diferente do autismo.

Para se aprofundar nesse assunto leia também: Sinais de Autismo: Como identificá-los em bebês a partir de 8 meses!

O que é Apraxia da Fala?

  Apraxia da fala infantil é uma desordem neurológica motora da fala em crianças, em que o cérebro tem dificuldade em enviar os sinais necessários para movimentar corretamente o aparelho fonador durante a emissão de sons.

 Crianças com AFI podem ser consideradas bebês muito quietinhos, mas compreendem tudo o que está sendo falado, sabem o que querem dizer e tem interesse em se comunicar. 

 Por conta dessa dificuldade em coordenar os movimentos da boca, língua, lábios e maxilar durante a produção de sons, acabam falando mais tarde, com uma pronúncia de difícil compreensão. 

 No entanto, diferente das crianças autistas, o indivíduo Apráxico não tem dificuldade de interação e sua compreensão do mundo não é diferente de tudo ao seu redor.

 Essas crianças precisam receber intervenções específicas para se desenvolver melhor, e a falta de diagnóstico correto pode prejudicar muito esse processo. 

 Há também casos de crianças que tem os dois transtornos, tanto Apraxia da Fala quanto Autismo, nessas situações é muito importante identificar os dois distúrbios para definir as abordagens corretas para ambos, é comum ser identificado apenas o autismo. 

Quer se aprofundar ainda mais? Leia este artigo: Sinais de apraxia da fala em crianças: Saiba quando procurar um especialista!

E o que fazer se você quiser rever o diagnóstico?

 Antes de mais nada lembre-se que este post é um alerta para que você fique atenta aos sinais a tempo de ajudar seu filho a se desenvolver melhor, mas o diagnóstico só pode ser feito através de avaliação e acompanhamento, então não fique no achismo e evite montar diagnósticos prontos na sua cabeça, ok?!

 Geralmente quem dá o diagnóstico é um neuropediatra, mas os fonoaudiólogos são quem tem mais oportunidade para conhecer a criança de um ponto de vista profissional, já que eles passam mais tempo com elas.

Então, pode ser interessante verificar com a fono do seu filho se ela é especialista em Apraxia da Fala Infantil e qual a opinião dela sobre o caso.

 Se não for, procure uma segunda ou até terceira opinião de outro neuropediatra e até de outro fonoaudiólogo que seja especialista em Apraxia da Fala Infantil.

 Tudo isso pode ser muito importante para seu filho conseguir desenvolver a fala, se for o caso. Se uma intervenção não está trazendo resultados, sempre vale a pena buscar uma segunda opinião e outras abordagens para ver seu filho se comunicando bem, não é mesmo?

Por hoje é isso, espero que não tenha ficado com nenhuma dúvida mas se ficou coloque aqui nos comentários que eu vou responder. 

Quer saber mais sobre nossas consultas, abordagens e especialidade? Entre em contato pelo whatsapp 11 99460 8548 será um prazer te ajudar a cuidar da sua família.

Qual a sua opinião